segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Entre a Razão e a Emoção



“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”.  Provérbios 4:23
1 – Pense primeiro, depois sinta.
Mas como pensar primeiro?
Sem dúvidas uma maneira de conhecer alguém é antes ser amigo da pessoa. É muito comum pessoas usarem máscaras social seja para diversas ocasiões, como na vida profissional, vida social ou ao se apresentar para um futuro relacionamento. Nesta última geralmente a pessoa se apresenta da melhor maneira possível, pois seria uma “loucura” a pessoa conhecer ela de verdade e aceitá-la para um relacionamento.
Na amizade já acontece de forma despretensiosa, a pessoa se apresenta como ela é, pois não existem intenções secundarias. Certamente já deve ter ouvido que ao se relacionar com a pessoa ela “não esta sendo ela mesma” é o motivo da mascara ter caído.
2 - Conheça a família da pessoa que esta interessada.
Mas como se os pais não são cristãos? Mesmo os pais não sendo cristãos devemos honrá-los.
 “Honra teu pai e tua mãe” – este é o primeiro mandamento com promessa – “para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra” (Efésios 6.2).
Note que a referência não se impõe condições para que honre o pai e mãe, não importa se eles não temem a cristo, ou seja, como for apenas honre. É um mandamento, uma ordenança.
Se não honrar seu pai, certamente não ira honrar ao cônjuge, o namorado, o noivo ou qual seja a situação. PREVINA-SE.
Mas ele não faz parte da igreja que frequento como fazê-lo? Simples, visite a casa dele, se convide para ir de forma espontânea e despretensiosa, e veja como é o relacionamento. Em algum momento isso vai acontecer.
3 - A pessoa que esta se aproximando tem compromisso com a igreja de Cristo?
Não se engane, caso a pessoa que deseja se envolver não tem compromisso com a igreja, não tem frequência fixa, não tem compromisso com horários, não tem interesse em área alguma, certamente a pessoa não terá compromisso com você. Imagine.
Caso o amado tenha vida ministerial e a pessoa com quem deseja se relacionar fica apenas sentado no banco, ele ira simplesmente matar seu ministério.
4 - Fiel com Deus.
Não se engane, se ele não é fiel com o próprio Deus, será com você?
Como ele é quando não esta na igreja? Sua vida testifica a Cristo? Ele ama ao próximo? Ele é dizimista e ofertante fiel? Acompanhe seu caminhar, sua conduta é uma conduta crista?
Vamos para alguns exemplos de conduta de um servo de Deus.
Ame ao próximo
“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” Romanos 12:10
Ser educado e simpático
“Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.“ Atos 2:47
 Sendo bondoso com o próximo
“Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. “ Efésios 4:32
Sendo moderado, hospitaleiro e temperante.
“Mas dado à hospitalidade, amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante;”  Tito 1:8
A conduta fora da igreja demonstra os princípios bíblicos para que seja considerado um cristão de fato?
Se não pratica os princípios com o próximo, certamente não ira praticar com você.
5 - Pessoa impulsiva.
Como esta pessoa reage quando colocada em pressão, ela age pelo impulso? Como podemos conhecer se uma pessoa é impulsiva?
A pessoa impulsiva tem uma tendência para escolher a recompensa imediata em detrimento de um bem maior.
Vamos analisar o seguinte cenário.
Quando uma pessoa prefere uma ação imediatista na compra de algum produto que custe R$ 500,00 para retirada imediata ao invés de optar por comprar o mesmo produto que custe R$ 300,00 para que seja entregue em cinco dias por exemplo. Esta pessoa é impulsiva.
Mas como vai interferir no relacionamento se ela quer uma solução imediata?
Certamente a mesma pessoa que tem uma ação imediatista na compra de um produto para beneficio imediato vai exigir que suas necessidades sejam satisfeitas de forma imediata, desrespeitando o comportamento do cônjuge.
E o impulsivo em momentos de crise irá trair ou ser traído pelos impulsos, não tenha duvidas.
Para concluir a minha oração é que eu não seja uma bengala na caminhada com Cristo para ninguém e que ninguém seja uma bengala na caminhada com Cristo para mim.
E não gostaria de estar “ocupado” com a pessoa errada para que, quando DEUS estiver com a pessoa certa para que eu possa conhecer eu esteja ocupado com o errado.
Raphael Soares - @SraphaelSoares
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..