quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A ansiedade da mocidade





Certa vez estava em aula no seminário e um professor comentou que não poderia estar falando normalmente pois havia acabado de implantar mais um dente.

Comentou também que, quando jovem ele arrancou todos os dentes e hoje, depois de adulto esta implantando todos novamente e que era doloroso o procedimento.

Dor e sofrimento por uma atitude no passado, geralmente nossas ações por impulso ou sentimentos deturpados nos faz tomar certas atitudes que podem gerar as mesmas consequências hoje.

“Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.” 2 Timóteo 2:22
E o que acontece quando nos tornamos adultos? Continuamos nos arrependendo das atitudes feitas no passado através dos impulsos realizados, mesmo já não tão jovens mas qual a grande diferença?

Geralmente para resolver uma questão momentânea, tomamos uma atitude eficiente mas drástica que podem gerar grandes consequências no futuro.

Um casamento, uma traição, o experimentar de uma droga, muitas coisas são possíveis e muda o trajeto de nossa vida inteira, nos causando dor, magoa e arrependimento.

Até por uma carência afetiva, pela infeliz sensação de estar só podemos tomar uma atitude que no futuro nos causará grande dor e arrependimento mas que no momento, parece ser a melhor solução.

Mas qual a melhor atitude tomar, qual a direção a ser tomada quando parece não ter saída e a dor (como a de dentes) aparecer e precisamos de uma solução imediata?

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.”1 Coríntios 10:31

A melhor atitude a ser tomada talvez seja não fazer nada.

Pois nessa hora é que ficamos inquietos e Paulo nos ensina em sua carta a Igreja de Filipos assim:

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.” Filipenses 4:6

Justamente pelo principal fator de diante da dor, ansiedade e intempestividade o homem natural não age, ele reage e a reação é sem pensar nas consequências independentemente da idade.

Antes devemos orar e tornar todas conhecidas diante de Deus por orações e súplicas, caso contrário o melhor a fazer é nada.

É importante sempre lembrar que os frutos que colhemos hoje são de semeaduras feitas ontem e que os frutos que colheremos amanhã serão de semeaduras que estaremos semeando hoje.

A grande questão é: O que estamos semeando hoje?

Em Cristo,

Raphael Soares
@sraphaelsoares
www.raphaelsoares.com.br
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..