sexta-feira, 2 de maio de 2014

A palavra que salva ou que convêm?






Hoje existem colegas teólogos que entendem muito bem sobre a motivação de cada passagem da Bíblia.

Parece que tudo que aprendemos da Bíblia em nossa língua nativa não tem validade, quem nunca ouviu um “no original significa...”?

É importante ter conhecimento no que Deus permitiu que fosse revelado através de sua palavra, indiscutivelmente é importante que conheçamos e prossigamos em conhecer a Deus mas não apenas para o que convêm.

“Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor...” Oséias 6:3a

Agora existem algumas questões que jamais podemos deixar de considerar.

A Bíblia, o que ela é para você?

Se a Bíblia é, pela fé, a palavra de Deus revelada, devemos considerar que tudo contido nela tem um propósito.

Se explica uma questão histórica, alguma motivação existe, pela fé temos uma mensagem direta de Deus para nós.

Se ela explica um costume de época, uma explicação da pratica dos que seguiam a Deus deve ser alguma mensagem para que nós possamos aprender sobre isso.

Se ela nos ensina sobre a Graça redentora de Deus. Devemos buscar e entender sobre a maravilhosa Graça.

Se ela nos fala sobre a vida eterna em Cristo, na igreja triunfante, onde o pecado não pode nos tocar. Maravilha! Pela fé temos a graça e vivemos em Cristo.

Se ela relata muito sobre o inferno, sobre as potestades malignas, sobre o mal e o pecado, devemos acreditar que o Inferno existe e que podemos ir pra lá.

Na verdade nada pode nos separar do amor de Deus, o amor imutável, imerecido mas o inferno existe e mesmo diante “da mão estendida do Senhor para nós” já que ele nunca nos abandonou, podemos nos afastar dEle e no final o que nos resta é onde existe o choro e ranger de dentes e isso não é uma teologia do medo, é a verdade revelada.

Sem duvidas o "choro e ranger de dentes" tem uma explicação teológica envolvida mas não é essa a questão. A questão é que o inferno existe, é uma realidade e podemos ir para lá.

Hoje a maior preocupação é entre a luxuria, a ganância e a carne.

Quando conhecemos a verdade que cura, salva e liberta mas estamos buscando justificativa para fazer o que bem entender a bíblia passa a ser lida de uma forma sistemática, histórica e teórica.

Onde tudo que convém parece ser permissivo. Na verdade quando entra o pecado Deus incondicionalmente se afasta. E com isso a palavra revelada fica sistematicamente estudada como um livro “de época”

Infelizmente a verdade é que ninguém quer considerar que isso é absoluta verdade mas quando sugerimos um Deus flexível de fato não é sobre a Graça que estamos falando, estamos sugestionando algo que não existe.

Quando sistematizamos o Sagrado, esquecemos um ponto importante ou o mais importante.

O poder da oração.


“Orem também por mim, para que, quando eu falar, seja-me dada a mensagem a fim de que, destemidamente, torne conhecido o mistério do evangelho,” Efésios 6:19

Paulo sabia que o poder só vem por meio da oração.

Irmãos, não adianta ter boa eloquência, boa música de fundo, ter bom conhecimento teológico e histórico o poder do evangelho tem que ser conhecido pela oração.

Deus pode usar diversas maneiras de se relacionar conosco, seja pela palavra revelada (a Bíblia), sonhos, sinais, um irmão, mas só existe uma maneira de você se relacionar com Deus e este Ele não abre mão: a oração.


Que sigamos e prossigamos a conhecer o Senhor,

Em Cristo,

Raphael Soares
@sraphaelsoares
www.raphaelsoares.com.br
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..