sexta-feira, 20 de junho de 2014

A graça genérica





 As vezes a sensação que temos é que muitos Cristãos ou "evangelicos" estão nas igrejas por falta de oportunidade já que a única diferença que é perceptivel é que se tivesse oportunidades estaria longe e fazendo outra coisa, preocupante a conclusao mas é notório que estão mais envolvido em atividades ocupacionais que outra coisa.
Mas de fato não é sobre os impostores a nossa volta que gostaria de ponderar mas do impostor que existe dentro de nós. Já que os impostores a nossa volta vão existir até a volta de Cristo, isso não compete a nós julga-los e sim a Cristo.

“Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?” Romanos 7:24

Todos os dias a batalha começa e somente pela graça e pela misericórdia somos sustentados, não tem como nos manter em pé sem Cristo, sem sua misericórdia. É Ele nos sustenta.

Podemos ficar um pouco atordoados uma vez que, o lugar mais seguro que devemos estar é aos pés da Cruz já que longe dela somos vulneráveis, fracos e totalmente suscetíveis a falhas e após algum tempo, algumas conclusões foram reunidas.

Ao mesmo tempo que somos confrontados, crendo verdadeiramente que o Espírito Santo que nos incita ao confronto e a busca ininterrupta pela verdade que nos sustenta podemos ver que foi supostamente criada uma “Graça genérica”.

Onde alguns tipos de pregações, recheadas de conhecimento histórico e teológico onde o foco é o perdão mediante a graça e sem a exigência mínima de arrependimento, sem frutificar uma nova criatura, na verdade o que se percebe e uma maneira de se libertar da culpa como citado em artigo anterior.

Então o evangelho, a Cruz de Cristo foi pregado para existir apenas uma técnica para se libertar da dor de se sentir culpado?

É o que parece ser pregado pois um evangelho onde jamais se é confrontado, onde a pregação do adultério como sendo um pecado mortal, onde o sexo antes do casamento é totalmente permitido e não pontuado e os princípios morais que viver em Cristo nos torna entre as igrejas e a sua palavra é totalmente relativista.

Realmente a graça esta genérica, não pelo fato da graça ser acessível a todos, ela é, foi e sempre será acessível mas o pecado é justificado mediante a graça.

“Existe uma grande diferença entre graça e misericórdia” a graça é um favor imerecido, vivemos pela graça. A misericórdia é o espaço que temos entre o pecado e o arrependimento.

E o resultado?

A graça barata é um culto a um paganismo, onde existe um deus sincrético e o culto é voltado a outros deuses, o corpo, o ser feliz, o ter razão e ser livre para fazer o que bem entende. Afinal, o que importa é ser feliz. E “Ser evangélico está na moda, da pinta de bom moço, bom caráter”, como se for cristão seria um nada-consta no CERASA e SPC, também como se fosse uma ficha criminal limpa e por conta disso, muitos são supostamente evangélicos por conta exclusivamente de se sentir bonito na foto.

E o que estamos fazendo com tudo isso?

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. ” Marcos 16:15

Seria fantástico se diante de toda ação acima fosse causado uma reação de nossas igrejas em  anunciar o evangelho genuíno aos que buscam, mesmo que o desejo primário fosse o descrito anteriormente, afinal o que convence o homem do pecado da justiça e do juízo não são os pregadores, pastores, evangelistas ou semi-deuses e sim o poder do Espírito Santo.

“Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.” João 16:7-8

Mas infelizmente não é a verdade que tem sido pregado, é um evangeliquês a gosto do cliente (no caso o membro da igreja) que só falta afirmar que está pagando e quer algo que faça ele se sentir bem.

“Se a palavra anunciada no culto da igreja que frequenta não te confronta, existe algo de errado.”

É bom sempre lembrar que uma coisa é o confronto, que nos traz a inferência e outra é a opressão, o medo, a condição.

E voltando ao início, poderia estar em outro lugar mas estou em uma zona de confronto, onde o pecado tenta nos devorar, a inclinação natural para a carne deve ser mudada para onde a inclinação seja totalmente voltada as coisas que são eternas.

Poderíamos estar em uma zona de conforto, sem confronto, sem inferência, sem buscar por mais e mais porém, uma vez entendido que o Senhor Jesus é o nosso único e suficiente salvador tudo muda, a busca por mais e mais até que ele venha é incessante, não existe espaço para negociar, não existe tempo para “fazer social” com o cristianismo. E como parte do corpo de Cristo, não só podemos mas também devemos anunciar a sua vinda até que ele volte.

Em Cristo, em Paz.

Raphael Soares
 @sraphaelsoares
www.raphaelsoares.com.br
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..