sábado, 14 de junho de 2014

Onde fica a culpa?






 Existe uma grande diferença entre questão da culpa e o sentimento de culpa. Uma é objetiva e a outra é subjetiva.

Algumas referências bíblicas nos deixam bem claro que há pessoas que, por repetição perderam a capacidade de sentir vergonha ou se sentir culpado pelos atos cometidos.

Um exemplo claro é sobre o coração endurecido, o resultado que geralmente acontece quando confiamos em nossos próprios sentimentos.

Existe também o sentimento de culpa sem culpa, este muito explorado por líderes de seitas religiosas que tem como a “doutrina da culpa e do medo” como o seu “princípio moral”.

Estas conduzem suas supostas ovelhas a base do medo, com temor e tremor dentro de uma aberração mental, usando até técnicas subjetivas e subliminares que ajudam a conduzir o seu “rebanho”.

Outras que se submetem a costumes e culturas fora do contexto de época (lembre-se que Jesus veio vestido como os de época e se comportava como tal).

E então, como fica a culpa?

Alguns de forma pratica usa o seu indicador para apontar, justificar ou acusar. Devemos entender que é perfeitamente natural ao ser humano, enquanto caído que seja justificado a culpa ou imputado o peso a alguém, lembra de Adão e Eva? Adão foi o primeiro a acusar o próximo do seu erro e certamente de tentar transferir o seu sentimento de culpa.

E agora que temos a palavra revelada, a graça redentora do nosso Senhor sobre nossas vidas, o que estamos fazendo com a culpa ou... sentimos ainda alguma culpa?

O que importa é entender sobre a culpa ou se sentir culpado?

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” Jeremias 17:9

Aprendendo com o profeta Jeremias entendemos que o coração, como a sede da vontade e desejo do homem como algo enganoso e perverso. Então podemos concluir que apenas o sentimento, ou a falta do sentimento de culpa não seria o bastante mas o entendimento de que devemos ter do certo e errado para passar a decidir tal coisa deve ser o principal.

Quantas pessoas conhecemos, que por princípios familiares sólidos, princípios morais estabelecidos e uma vida regrada por ética e amor ao próximo nos faz pensar que ele é um homem correto, sensato e prudente e por isso estaria livre de toda inocorrência de culpa.

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. ” Romanos 3:23-24

Portanto, todos somos culpados e estamos carecendo da gloria de Deus.

E o que fazemos com a culpa?

Existe uma grande diferença entre a lei e a graça; pela fé somos justificados e temos a paz com Deus por meio de Cristo.

“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;” Romanos 5:1

E tendo entendimento que a sua maravilhosa Graça redentora nos basta, concluímos que o que devemos fazer com nossa culpa é abrir nossa vida e entendimento ao Senhor, entender que somente por ele, com ele e para ele são todas as coisas, e reconhecemos que Ele é nosso único e suficiente salvador.


Em Cristo, Justificado pela fé.

Raphael Soares
@sraphaelsoares

← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..