sábado, 8 de novembro de 2014

O Pai da ação




Uma coisa não podemos negar, nesta caminhada no deserto enquanto nesta terra estamos certo que ninguém passa por uma conduta que seja imoral sem antes alimentar com pensamentos que sejam também imorais.

O homem naturalmente é tendencioso ao que te atraí, seja a atração pelos olhos, pelos benefícios que podem ter ou pelo que supostamente te fará bem.

E nisso, infelizmente até no nosso meio acontecem problemas relacionados a conduta imoral justamente por não ter desejo de controlar o que pensa.

“Existe uma diferença entre hesitar e almejar. O primeiro estamos esperando; no outro estamos querendo algo. A diferença está exclusivamente ligada ao interesse”

Vamos para alguns exemplos na palavra do Senhor sobre o “Pai da ação”.

Balaão era um verdadeiro profeta de Deus, trouxe palavras abençoadoras contudo ele foi tentado pelo dinheiro do Rei Balaque para profetizar catástrofes sobre Israel. Ele pensou e posteriormente cedeu.

A mulher de Ló, pensou no que poderia ver antes de olhar para trás.

Judas, o que traiu Jesus por toda caminhada com ele, sempre questionava as atitudes de Cristo.

“Então, um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse: Por que não se vendeu este ungüento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?”João 12:4-5

As ações também podem ser provenientes da construção moral do homem que está incluída seus valores intelectuais, saber discernir entre o que é certo e errado, sua sensibilidade em que o atrai para um caminho ou outro. O problema está no referencial envolvido, hoje os valores intelectuais estão distorcendo os valores morais.

Ler a palavra do Senhor não traz apenas conhecimento, ela nos convida a um conjunto de valores morais que nos testifica sobre nossa conduta. A palavra do Senhor nos convida a ter um controle do que pensamos, nos adverte sobre as consequências e nos da exemplos a serem seguidos.

 Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte”. Tiago 1:15

Ter pensamentos impuros, estar com a consciência inundada de pensamentos impuros nos fornece poucas possibilidades para a prática moral.

 “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”Filipenses 4:8

Paulo também nos ensina como mudar as nossas ações imorais, ele escreve aos Filipenses como devemos controlar os pensamentos.

Também quem por habito tem vida imoral, seja na sua prática de uso na internet ou o hábito diário de ver notícias destrutivas nos cauteriza e deixa insensíveis para ao que é conhecido como moral, nos tornando escravos do que pensamos e fatalmente do que praticamos.

Mas como mudar o cenário que parece não ter fim, uma vez que para onde olhamos existe imoralidade e por consequência nossa mente irá registrar questões imorais?

Somente em Cristo podemos ter uma direção do que se trata bom, moral e puro.

Cristo orou pedindo que fosse enviado o Espirito Santo para habitar em nós.

Jesus também foi uma referência ao ser tentado no deserto e venceu o mau, ele poderia obter uma vantagem pessoal “transformando pedra em pães” mas ele se recusou a fazer.

Quantas vezes somos tentados a “transformar pedras em pães”, ou seja, quantas vezes usamos algo em que temos poder para benefício próprio? O nome disso é “Concupiscência da carne”, desejar para sí o que é benefício para outras pessoas.

Pregar uma mensagem que não vivemos também é totalmente imoral, falar o que não vive é pregar o que, para sí é uma mentira.

Que o nosso desejo seja que o “Pai de nossas ações” seja regido pelos princípios de nosso Pai eterno,

Em Cristo,

Raphael Soares

← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..