sábado, 28 de fevereiro de 2015

Será que somos todos Juízes ?




Em nossa caminhada com Cristo, em tempos modernos muito se relativiza sobre a verdadeira Ortodoxia Cristã.

Para quem não sabe o termo Ortodoxia é usado como parâmetros para centrar nossa defesa de fé em Deus. A palavra vem do grego  "orthós" e "dóxa",
 Em miúdos:
 
 
 

“Ortodoxia se refere ao pensamento correto sobre Deus.”

Alguns são perfeitos na defesa da mesma mas se contradizem e priorizam em exortar ao amar.

Com isso a Ortodoxia ou apenas o terno é geralmente trazido à tona quando alguém está sendo repreendido, assim ela adquiriu uma péssima reputação, sempre é usada como tentativa de algum flagrante de algo errado.

E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas”


 

Huummm isso me faz lembrar dos Fariseus, o farisaísmo é extremamente fácil.

Na verdade, eles eram Ortodoxos, doutrinas claras, corretas e tão zeloso pela fé de suas gerações e tão coerentes no que defendiam que certamente gostaríamos de assistir nossas conferencias, sendo hoje seriam deles os livros que estariam sendo os mais vendidos.

Mas mesmo assim, quando Jesus esteve diante deles não foi reconhecido como o Filho do homem. E os Fariseus o ajudaram a crucificar Jesus.


Também tem os que são até legais, bonzinhos mas relativizam a sua Ortodoxia tornando a mesma uma heterodoxia. Abandonando algumas das crenças cristãs historicamente verdadeiras mas se tornando uma pessoa gente boa, agradável e flexível. Bem... essa vendeu sua defesa para ser aceitável. Ser sociável e ter seu “rebanho” para ouvir suas ... bem suas boas conversas teológicas.

 

Mas então, como ter uma Ortodoxia que nos faz ser semelhantes a Cristo mas não só no exortar mas também no ensinar e principalmente no amar?

Existe uma simples verdade imutável que devemos seguir:

“A fé operando por meio de amor.”

“E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;”


 
Nossa atitude é importante:

“Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade,”
 

 

Já percebeu como tem pessoas que focam nas inconsistências teológicas (eu pecava ao extremo nisso) até o ponto que percebi que também já errei e confesso que meu fervor em anunciar as boas novas era até maior.

Será mesmo que a doutrina de Deus, que cura salva e liberta nos faz ser uma pessoa contestadora, chata e arrogante? Mero engodo achar isso. A luz do farisaísmo está em alerta máximo.

“E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos.”

 

O que então vamos fazer com o conhecimento de Deus que temos?

Não custa lembrar que o diabo usou o conhecimento que tinha de Deus para tentar Jesus. (Não importa o conhecimento teológico, a defesa luterana que o diabo é de Deus, a verdade é que está literalmente escrita isso na bíblia e se está devemos considerar).

Devemos nos importar com a Verdade mas também devemos defende-la de forma humilde e compassiva.

Em 1 Pedro:5:5 diz:

“Tende todos uma disposição humilde uns para os outros, porque Deus se opõe aos arrogantes, mas dá graça aos humildes”.

Gostaria de concluir com uma comparação cotidiana.

Recentemente um Juiz foi pego com um carro apreendido por ele de um réu muito conhecido.

Pense comigo. O Juiz é o ortodoxo que tem a lei, que sabe como utiliza-la e faz até bom uso disso.

Mas ele, assim como todos os que conhecem a boa palavra de Deus também é um pecador, ele com o seu erro usando um carro apreendido por ele mesmo para benefício próprio e nós usando a ortodoxia apenas de exortação mas não reconhecendo que também tem seus delitos.

Em Cristo, por uma Ortodoxia mais amorosa, feliz e humilde como o Senhor nos fez.

Raphael Soares
@sraphaelsoares

www.raphaelsoares.com.br

fb.com/raphaelsoares.com.br
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..