segunda-feira, 20 de abril de 2015

Uma nova solução para os nossos problemas, é mesmo?




Recentemente os laboratórios farmacêuticos criaram um medicamento que pode impedir o contágio pela AIDS, noticia recebida com muita alegria já que impede que novas pessoas possam ficar doentes com esse vírus que MATA cada vez mais.

Mas também, por outro lado, já foi divulgado nas principais mídias que talvez seja o fim da era da camisinha e me vem a pergunta, para que camisinha?

É um pouco estranho eu, como cristão, discutir o uso da camisinha como método de prevenção de doenças já que o melhor método é o adotado por cristãos genuínos, ter relações sexuais apenas com seu cônjuge, então qual demanda seria necessária para nos proteger das DSTs  se a pratica bíblica fosse aplicada?

Mas qual é o problema que iremos enfrentar com o não uso da camisinha?

Amados, é sério que a pergunta ainda existe no meio de nós? O problema do homem é um só e existe desde a época adâmica.

O problema do homem não é outro se não o pecado.

A preocupação principal não deveria ser sobre o contagio de uma DST e sim de cair em pecado.

Devemos ser bem aventurados por sofrer tentações, já que, quando provado vamos receber a vida eterna.

“Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.”


Outra questão que envolve o pecado é o dito maldito e popular que diz “Deus está me pondo a prova” 

Deus não põe ninguém a prova, isso é uma mera justificativa ao pecado.

Mas qual então o problema que está infiltrado em nosso meio? O que está acontecendo com o povo santo, separado por Deus para anunciar as boas novas do evangelho? Elas literalmente estão se matando, tanto espiritualmente como fisicamente com o mal do nosso meio chamado adultério.

As vezes temos a sensação que existe somente um pecado, o de natureza sexual.

Todos estão focados nesta demanda, é evidente que existem outras preocupações que precisam de nossa atenção e oração mas o fato é que o pecado de natureza sexual tem um poder altamente destrutivo.

Enquanto alguns pensam no prazer temporário, famílias são destruídas, gerações são corrompidas, para ver isso basta ligar a televisão. A TV nos ensina a pratica do adultério de forma romântica e aceitável a sociedade, nas novelas e até nas propagandas ou a TV nos apresenta nos noticiários as tragédias provenientes do pecado do adultério.

Hoje é impossível passar um dia vendo televisão sem ver o ensinamento da prática e a consequência do pecado sexual.

Mas como nos prevenir?

Um importante teólogo escreveu em seu livro:

“Na melhor das utopias, devo estar preparado para a queda moral de qualquer homem de qualquer posição a qualquer momento; devo estar preparado especialmente para minha queda de minha posição neste momento.”

Chesterton

Qual ensinamento podemos ter com isso?

Que devemos viver na prática do evangelho da Cruz:

O povo que se diz “evangélico” esqueceu que existe uma Cruz. O centro da fé que professamos e defendemos está totalmente focada na Cruz de Cristo.

Sem o evangelho da Cruz, o evangelho se torna apenas uma atividade cultural.

Vida de Cruz, para quando a tentação viver nos prostrarmos aos pés da Cruz e estarmos preparados para a queda a qualquer momento, com o objetivo claro de evita-a.

O meu desejo é que voltemos ao evangelho da Cruz volte a ser o primeiro em nosso meio.

Em Cristo, buscando estar aos pés da Cruz.

Raphael Soares

@sraphaelsoares

www.raphaelsoares.com.br

fb.com/raphaelsoares.com.br
← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..