terça-feira, 19 de maio de 2015

Será que estamos contaminando o mundo ou estamos nos contaminando?








Como é possível ser sal dessa terra, luz desse mundo para os que não conhecem a Cristo e mesmo assim se contaminar com as impurezas?
Será que em nossas vidas enviamos sinais de sujeira e contaminação para as pessoas ao nosso redor. Quer na igreja, no bairro ou na vida social?

Certa vez um irmão, pai de primeira viagem estava limpando seu filho recém nascido com algodão e álcool, quando acabou colocou o algodão utilizado junto a outros embebidos em  álcool, nesse instante  a enfermeira lhe disse:

“Você contaminou o álcool”

Mas como assim? O álcool que é algo para limpar pode ser sujo, infectado?

Como assim? Nós, nova criatura, morremos para o mundo e vivemos para Cristo podemos estar também infectados?

Essa analogia nos remete a um grande questionamento. Nós que estamos aqui como profetas de Deus podemos infectar o mundo com impurezas?  Como podemos prevenir isso? E que tipo de impurezas seriam essas?

As Críticas

Como o povo que serve a Deus adora contaminar o meio fazendo comparações, disseminando no ambiente Críticas e até inconscientemente ou não, fazem  para se sentir superiores, mais santos. É incrível como isso pode contaminar a pureza e a simplicidade do evangelho.
Por exemplo: quando Jesus foi indagado pelos apóstolos sobre quais deles era o melhor, qual poderia estar mais próximo.

O escarnecer em nome de Jesus

Outra contaminação absurda é tentar fazer isso com o Santo nome do Senhor.

Não se engane, escarnecer não é zombar do Santo nome, mas fazer escândalos em nome dele.

Quantas contaminações o evangelho de Cristo, que é na essência puro e simples são feitos hoje em nome 
Dele, como se o mesmo fosse culpado por tanta maldade na humanidade.

Por mais contaminação que pode ter nos evangélicos a sua nascente é sempre limpa, pura e cristalina.

A contaminação pode estar no percurso, devemos estar atentos em manter a palavra mas esquecemos da mensagem principal que deve ser enviada em amor.

Mas como podemos anunciar as boas novas do Senhor sem passar a contaminação existente no meio religioso?

A maravilhosa e abundante Graça.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.”
Efésios 2:8

Sabedoria, vida com Cristo e plenitude definem o evangelho da Graça.

Reconhecer nossas limitações sabendo que somos salvos por meio apenas da fé e que todo mérito é um dom de Deus define claramente o quanto miseráveis e falhos nós somos.

Reconhecer nossas limitações e nossa natureza pecaminosa ficamos totalmente dependente de Deus.

Assim não se é exigido um método operacional baseado em resultados já que nós estaremos caminhando pela fé e a serviço do Pai e não com metas de alcançar o mundo ou ver todos do topo (nitidamente nos deixando vaidosos).

“Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior.” 1 Timóteo 1:15

Que possamos limpar o mundo, não só anunciando as boas novas do evangelho, mas não contaminando nosso meio existente com a religiosidade, conceitos humanos e vaidade que infelizmente existe em abundância em nosso meio.

“A lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o pecado, transbordou a graça,” Romanos 5:20

Em Cristo, pior que Paulo e necessitado da superabundante graça para ser canal do Senhor e não contaminar a fonte que é pura.

Raphael Soares


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 comentários:

Postar um comentário

..